Marcelo Cruz acusa grupo de Mariana Carvalho de fraude eleitoral e afirma que vai à justiça - RONDONIA 319

728

Marcelo Cruz acusa grupo de Mariana Carvalho de fraude eleitoral e afirma que vai à justiça

Share:

Presidente da Assembleia Legislativa é pré-candidato a prefeito e deve disputar com a ex-deputada federal

Porto Velho, RO - O clima começou a esquentar na disputa pela prefeitura de Porto Velho entre os pré-candidatos. Nesta quarta-feira, o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Marcelo Cruz acusou a pré-candidata Mariana Carvalho de estar cometendo uma suposta ‘fraude eleitoral’.

De acordo com Cruz, ‘após anunciar sua candidatura, o grupo mais poderoso de Porto Velho começou a ir atrás de seus pré-candidatos’. O deputado explicou, e postagens nas suas redes sociais, que o prazo de filiação é até 6 de abril, mas o prazo para que o Tribunal Regional Eleitoral tem para lançar no sistema os registros, encerram no dia 14.

Na denúncia, Marcelo alega que o grupo político de Mariana Carvalho está indo atrás de seus pré-candidatos a vereador, e fazendo com que eles assinem um documento retroativo ao dia 6, dizendo que eles não querem mais ficar em seu partido. Segundo ele, pelo menos dois pré-candidatos a vereador de sua nominata apresentaram provas. de terem sido procurados para fazer a manobra. Eles teriam sido procurados por Márcio Miranda, que integra o grupo de Mariana Carvalho.

Cruz afirmou ainda que tem um áudio de Miranda procurando os pré-candidatos para que eles assinem o documento trocando a filiação. O deputado explicou que isso ‘é crime’é fraude eleitoral’ e que em 2018 o mesmo Miranda teria fraudado uma ata e por isso estaria inelegível.

Marcelo disse ainda que os pré-candidatos que assinaram as fichas de filiação no dia 6 e posteriormente migrarem para o grupo de Mariana, serão denunciados ao TRE.

Veja o vídeo:




Pelo menos um caso já foi identificado, o do pré candidato a vereador Francisco Bruno Oliveira da Costa assinou ficha de filiação no DC – Democracia Cristã no ultimo dia 5. Porém, nesta quarta-feira, 10, ele apresentou um pedido de desfiliação datado do dia 6. De acordo com líderes partidários do PDC, o que aconteceu foi diferente.

Francisco teria sido convencido a trocar de legenda para ajudar eleger um vereador que está com nominata ‘quebrada’. E para tanto, deram um jeitinho, aparecendo com pedido de desfiliação ‘retroativo’ e assinatura de ficha em outra legenda.

Fonte: Painel Político


Nenhum comentário