728

Morre Otávio Pelutti, pioneiro na colonização de Rondônia

Share:

Ele montou a primeira máquina de beneficiamento de arroz em Ouro Preto/RO quando era projeto de colonização do Incra

Porto Velho, RO - Morre aos 85 anos idade vítima de um infarto o empresário e pioneiro de Ouro Preto do Oeste Otávio Pelutti. Ele foi um dos primeiros cerealistas de Ouro Preto, quando essa localidade do interior de Rondônia ainda era projeto de colonização do Incra.

Otávio Pelutti estava internado em Ji-Paraná e morreu na tarde de hoje. Ele deixa a esposa, dona Marli, os filhos Ângela, Solange, Edmilson, Reilson e Eliza Peutti, além de 15 netos e 11 bisnetos. O velório acontece na Igreja Adventista da Promessa do bairro Liberdade.

Otávio e Marli em Brasília em visita a uma das filhas.

Otávio chegou a Ouro Preto/RO em 1975, quando o então projeto de colonização do Incra estava com cinco anos de criação. Natural de Jaboti, interior do Paraná, Otávio foi um dos milhares de brasileiros que atenderam ao convite do governo federal da ápoca para colonizar o Território Federal de Rondônia,

Aventura

Aos 35 anos de idade, casado e com muitos filhos, ‘seo’ Otávio saiu de Ubá do Sul, no Paraná, em um Chevrolet Brasil 1958 a gasolina, com destino a Araputanga – MT. A família ficou por lá menos de um ano e resolveu partir para Rondônia. O destino era um lugarzinho chamado projeto Ouro Preto onde o Incra estava distribuindo terra de graça. Assim que chegou abriu a Máquina de Arroz Paraná, a primeira de Ouro Preto.

Aliás, a máquina de arroz foi trazida do Paraná no Chevrolet Brasil. ‘Seo’ Otávio também passou a comercializar a compra de cereais. Era o início das lavouras de arroz, feijão, café e cacau. Essa máquina de arroz foi montada na avenida Daniel Comboni num terreno onde hoje existe a Casa da Lavoura.

Foi com esse empreendimento que ele criou e formou os filhos tornando-se um dos grandes cidadãos respeitáveis da Ouro Preto que anos mais tarde se tornava município.

Nos últimos anos ele estava com a saúde fragilizada por conta de comorbidades como a hipertensão e o coração que não estava muito bem. Mesmo assim, era difícil de convencê-lo a parar.

O enterro do pioneiro deve acontecer na tarde desta quarta-feira.

Fonte: Folha de Rondônia

Nenhum comentário