728

Cerca de 50 invasores são retirados da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau em RO; líder do grupo foi preso

Share:

Agentes destruíram oito barracões construídos ilegalmente dentro da Terra Indígena. Invasores começaram a demarcar a terra e confessaram ter a intenção de assentar famílias de fazendeiros

Porto Velho, RO - Cerca de 50 invasores foram retirados da Terra Indígena (TI) Uru-Eu-Wau-Wau, em Governador Jorge Teixeira (RO), durante uma operação realizada no fim de semana pela Polícia Federal, Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) e a Força Nacional. O líder das invasões foi preso em flagrante por contrabando de produtos veterinários.


Produtos veterinários contrabandeados apreendidos durante operação — Foto: PF/Divulgação

A Operação Tapunhas foi divida em duas equipes:

  • a primeira foi até o local da invasão e constatou a presença de aproximadamente 50 pessoas. No local onde eles estavam, tinham sido montadas estruturas e abrigos (barrações e tendas).
  • a segunda equipe cumpriu dois mandados de busca e apreensão em Governador Jorge Teixeira e Theobroma, ambos municípios de Rondônia;

Durante a ação, foram encontrados e destruídos oito tendas e barracões construídos pelos invasores dentro da TI.


Abrigos construídos por invasores dentro da TI Uru-Eu-Wau-Wau são destruídos — Foto: PF/Divulgação

Participaram da operação:

26 policiais federais,
quatro servidores da Funai e
20 policiais da Força Nacional.

Segundo a Funai, além das construções ilegais, os suspeitos também iniciaram a demarcação de lotes com a intenção de distribuí-los para ocupação. Eles confirmaram às autoridades que queriam assentar famílias de agricultores no local.

Também foi identificado que os suspeitos abriram diversos acessos à TI e extraíram madeira e outros produtos florestais de forma ilegal.

Denúncias

Na última semana, o g1 publicou uma denúncia feita pela ativista ambiental Ivaneide Bandeira (Neidinha) sobre as invasões à TI Uru-Eu-Wau-Wau. Neidinha relata que os invasores ameaçavam entrar na área há um tempo e que não é a primeira vez que eles invadem a TI ou outras áreas protegidas.

Ela contou temer um conflito, já que os invasores estavam muito próximos das regiões onde vivem os indígenas. Dentro da TI Uru-Eu-Wau-Wau vivem cerca de nove povos indígenas, sendo que a maioria são isolados (aqueles que optaram por viver em sem contato com a sociedade em geral).

Ela foi até Brasília solicitar o apoio de órgão competentes, como o Ministério dos Povos Indígenas. A ministra Sônia Guajarara utilizou as redes sociais para comentar sobre a reunião e informar que a equipe técnica do ministério apresentou o plano de desintrusão previsto para 2024, que tem a TI Uru-Eu-Wau-Wau como uma das prioridades para a retirada de invasores não indígena.

Fonte: G1

Nenhum comentário