728

Com incêndios no Amazonas, Manaus é tomada por fumaça

Share:

Fiocruz recomenda uso de máscara por causa da péssima qualidade do ar; governo conta mais de 1.600 focos de fogo ativos

Porto Velho, RO - Satélites de monitoramento identificaram 1.664 focos de incêndio ativos no Estado do Amazonas na 5ª feira (12.out.2023).. A informação foi divulgada nesta 6ª feira (13.out) pelo Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima.

“O principal vetor das queimadas é o desmatamento. Não existe fogo natural na Amazônia. Ou o fogo é feito propositalmente por criminosos, ou é a transformação da cobertura vegetal”, disse a ministra Marina Silva em entrevista a jornalistas nesta 6ª.
receba alertas grátis do Poder360

Ao menos 55 municípios já declararam situação de emergência.

Os municípios em pior situação são Autazes, com 141 focos de fogo, e Careiro, com 110.



O mapa abaixo mostra onde estão focos de incêndio na região de Manaus:



Clique aqui para visualizar a apresentação completa do MMA (PDF – 7 MB)

Os incêndios florestais fizeram com que a qualidade do ar da região metropolitana de Manaus despencasse. “A Organização Mundial da Saúde recomenda que a qualidade do ar, no máximo, não ultrapasse 20 microgramas por metro cúbico (µg/m³) e hoje estamos com Manaus com 225 µg/m³, então a situação é bem grave”, afirmou o presidente do Ibama, Ricardo Coutinho.

A Fiocruz já recomenda o uso de máscaras em Manaus.

“É DIFÍCIL RESPIRAR”

Na 5ª feira (12.out), o repórter da TV Meio Norte Lucas Conrado falava ao vivo para um programa da emissora e relatou a situação em Manaus: “Os olhos já ardem por aqui, é difícil respirar porque o nariz arde, a garganta também”.

Assista ao vídeo que mostra Manaus tomada por fumaça (38s):


MEDIDAS DO GOVERNO

O governo anunciou as seguintes medidas nesta 6ª feira:2 helicópteros ficarão à disposição;

envio de 149 brigadistas para combater os incêndios –serão 290 no total;
liberação de R$ 35 milhões para os municípios;
liberação de R$ 35 milhões do Fundo Amazônia para prevenção e combate a incêndios na região;
reforço em campanhas para prevenção de incêndios;
intensificação da fiscalização.

“Nos colocaremos recursos diretamente nos municípios só para ajuda humanitária. Quanto aos recursos, é o que for necessário de acordo com os planos que estão sendo apresentados. Essa é a orientação do presidente Lula. Se for necessário ter uma nova medida provisória para atender a Amazônia, como já foram feitas outras vezes, certamente o presidente Lula fará”, afirmou o ministro da Integração e Desenvolvimento Nacional, Waldez Góes.

A PGR também avalia um pedido de intervenção federal no Estado.

SECA NO NORTE

De acordo com o ministério, 3 causas principais agravam a seca no Amazonas em 2023:desmatamento;
influência do fenômeno El Niño;
mudanças climáticas.



Fonte: Poder360

Nenhum comentário