728

Desaparecimento de jovem completa um ano em RO: ‘vou ficar o resto da vida sem saber o que aconteceu?'

Share:

Familiares e amigos ainda esperam por respostas sobre o caso que permanece sem desfecho. Polícia ainda investiga o caso

Porto Velho, RO - Há exatamente um ano, Nataly Souza saiu da casa onde morava com os pais dizendo “vou ali". Desde então, ela não foi mais vista. O caso aconteceu no distrito de Nova Dimensão, em Nova Mamoré (RO). Os familiares e amigos ainda esperam por respostas sobre o caso que permanece sem desfecho.

“A gente está aqui nessa situação sem nenhuma resposta. Não tem mais desculpa, o que estão esperando? Vai ficar por isso, como se nada tivesse acontecido? Eu vou ficar aqui o resto da minha vida sem saber o que aconteceu realmente naquele dia com ela?”, cobra a mãe, Margareth de Souza.

A família de Nataly defende a tese de que ela foi morta e teve o corpo ocultado. Os pais acreditam que o suspeito está solto e “vivendo a vida normalmente”.

No entanto, de acordo com o delegado responsável, o caso ainda é investigado e tratado como desaparecimento. Ele aponta que não há comprovação de morte e que outros detalhes não podem ser divulgados para não atrapalhar a investigação.

Ainda conforme o delegado, questões de “ordem técnica” dificultam o desfecho do caso, como a falta de sinal telefônico que impossibilita o rastreamento do telefone de Nataly. Outro fator seria o medo que a população do distrito tem de colaborar com a polícia, por medo de represálias.

Revolta e saudade

Um ano depois do desaparecimento, o sentimento da família de Nataly é de revolta por falta de respostas.

“Nosso sentimento é de revolta e a cada dia que passa a gente se revolta mais. Enquanto a gente tiver vida nunca vamos esquecer”, relatou o pai da jovem.

“Meu sentimento é de revolta, tristeza, porque a gente contou com a polícia, entregou na mão deles achando que eles iriam fazer alguma coisa, mas hoje completa um ano e nada foi feito”, lamenta a mãe.

Entenda o caso

Segundo o boletim de ocorrência feito pela mãe de Nataly, a jovem saiu de casa em 14 de setembro, por volta das 21h, dizendo que logo voltava e desde então não foi mais vista.

A mãe também disse que a filha era ameaçada por uma pessoa de Nova Dimensão e outra pessoa do Acre.

"Era por volta de 21h naquele dia, daí ela pediu um marmitex. Pegou o prato, sentou na cama dela, e nesse momento ela recebeu uma mensagem [no celular]. Daí ela levantou, pegou a sacola com marmitex e saiu. Passou pela sala, onde estava meu esposo e meu filho, e disse que 'iria ali'", conta. Desde então Nataly não foi mais vista.

Familiares e amigos chegaram a fazer manifestações e interditaram a BR-421 no por três dias no mês de setembro. A ideia era chamar a atenção das autoridades de segurança pública para que investigassem o desaparecimento de Nataly.

Fonte: G1

Nenhum comentário