728

Ativista indígena de Rondônia, Txai Suruí entra para a lista de líderes em ascensão da revista ‘Time’

Share:

Indígena rondoniense entrou na lista da "Time" como defensora dos direitos humanos. As deputadas federais Duda Salabert (PDT-MG) e Erika Hilton (PSOL-SP) também são destaque

Porto Velho, RO - A ativista indígena de Rondônia, Txai Suruí, foi eleita como uma das cem estrelas em ascensão pela revista “Time”. A lista foi divulgada na quarta-feira (13) e a rondoniense entrou como defensora dos direitos humanos.

Além de Txai, outras duas brasileiras são destaque na revista: as deputadas federais Duda Salabert (PDT-MG) e Erika Hilton (PSOL-SP). Ambas se tornaram as primeiras deputadas transexuais em toda história da Câmara.

Quem é Txai Suruí?

Nascida na comunidade indígena Paiter Suruí, Walelasoetxeige Suruí (ou Txai Suruí) tem 26 anos e carrega uma enorme bagagem de luta pelos direitos do seu povo, assim como de todos os indígenas do Brasil e pela proteção da Floresta Amazônica.

Txai é filha do guerreiro e cacique Almir Suruí, uma das lideranças indígenas mais conhecidas por lutar contra o desmatamento na Amazônia. A mãe dela é Ivaneide Bandeira (ou Neidinha, como é mais conhecida), indigenista e fundadora da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé. Atualmente, a organização é coordenada por Txai.

Dos pais, a ativista herdou o desejo e a perseverança em buscar mudança. Ela se tornou a primeira mulher do seu povo a se formar em Direito e utiliza dos conhecimentos que adquiriu para benefícios da causa indígena. Além disso, há cerca de três anos, Txai fundou o Movimento da Juventude Indígena de Rondônia.


Ivaneide Bandeira, conhecida como Neidinha Suruí, e cacique Almir Suruí — Foto: Kanindé

Em 2021, o nome “Txai Suruí” girou o mundo depois que ela se tornou a única brasileira a discursar na abertura da Conferência da Cúpula do Clima (COP26), um dos maiores eventos do mundo que trata sobre mudanças climáticas.

No discurso, a jovem apontou a urgência de medidas eficientes para frear as mudanças climáticas, além de ressaltar a importância dos povos indígenas na proteção da Amazônia.

“Meu pai, o grande cacique Almir Suruí, me ensinou que devemos ouvir as estrelas, a lua, o vento, os animais e as árvores. Hoje o clima está esquentando, os animais estão desaparecendo, os rios estão morrendo, nossas plantações não florescem como antes. A Terra está falando, ela nos diz que não temos mais tempo”, disse.

Os 100Next

A lista "Time100 Next" reconhece cem estrelas em ascensão em todo o mundo - sejam elas artistas, líderes e defensores de direitos - e é inspirada na publicação anual da “Times” que elenca as personalidades mundiais mais influentes.

O intuito, segundo a revista, é contar histórias inspiradoras de pessoas que demonstram que repensar ideias consolidadas pode criar novas possibilidades para milhões de pessoas. Em 2021, a cantora Anitta esteve entre os indicados.

Entre os indicados estão a cantora Kali Uchis e o ator Tyler James Williams, na categoria artistas, a rapper Ice Spice e a modelo Hailey Bieber, na categoria fenômenos, o jogador de baseball Ronald Acuña Jr e a cientista Kristina Dahl, na categoria inovação.

Fonte: G1

Nenhum comentário