728

Procuradores dos EUA dizem que Trump colocou em risco segredos de segurança nacional

Share:

As dificuldades legais de Trump ainda não abalaram sua popularidade entre os eleitores republicanos

Porto Velho, RO - Procuradores dos Estados Unidos revelaram uma acusação de 37 acusações contra Donald Trump na sexta-feira, acusando o ex-presidente de arriscar alguns dos segredos de segurança mais sensíveis do país depois de deixar a Casa Branca em 2021.

Segundo a acusação federal, Trump manuseou documentos classificados que incluíam informações sobre o programa nuclear secreto dos Estados Unidos e vulnerabilidades domésticas potenciais em caso de um ataque.

Trump também discutiu com seus advogados a possibilidade de mentir para autoridades governamentais que buscavam recuperar os documentos; guardou alguns documentos em caixas ao redor de um vaso sanitário e moveu outros em sua residência no resort Mar-a-Lago, na Flórida, para evitarem ser encontrados, dizem as acusações.

"Não seria melhor se dissermos a eles que não temos nada aqui?" disse Trump a um de seus advogados, de acordo com a acusação de 49 páginas.

A divulgação não autorizada de documentos classificados representava um risco para a segurança nacional, relações exteriores e coleta de informações dos Estados Unidos, disseram os procuradores.

O Departamento de Justiça tornou as acusações criminais públicas em um dia tumultuado no qual dois advogados de Trump, John Rowley e Jim Trusty, abandonaram o caso por razões que ainda não estão claras. Um ex-assessor, Walt Nauta, enfrenta acusações de ser cúmplice de Trump.

Trump deve fazer sua primeira aparição no caso em um tribunal de Miami na terça-feira, um dia antes de seu 77º aniversário.

Caso seja condenado, uma vez que Trump cumpriria as sentenças simultaneamente, a pena de prisão máxima que ele enfrentaria é de 20 anos por obstrução da justiça, uma acusação que carrega a pena mais alta.

"Nossas leis que protegem informações de defesa nacional são cruciais para a segurança dos Estados Unidos, e elas devem ser aplicadas", disse o Procurador Especial dos Estados Unidos, Jack Smith, que está liderando a acusação, em uma coletiva de imprensa.

"Temos um conjunto de leis neste país e elas se aplicam a todos", disse Smith em sua primeira aparição pública desde que o Procurador-Geral Merrick Garland o designou para a investigação no ano passado.

Smith disse que buscará um julgamento em júri rápido na Flórida.

Trump proclamou sua inocência. Após a revelação das acusações, ele atacou Smith nas redes sociais.

"Ele é um odiador de Trump - um 'psicopata' desequilibrado que não deveria estar envolvido em nenhum caso relacionado à 'Justiça'", escreveu Trump em sua plataforma Truth Social.

A acusação de um ex-presidente dos Estados Unidos por acusações federais é sem precedentes na história americana e ocorre em um momento em que Trump é o favorito para a indicação presidencial republicana no próximo ano.

As dificuldades legais de Trump ainda não abalaram sua popularidade entre os eleitores republicanos, de acordo com pesquisas da Reuters/Ipsos.

No entanto, as acusações apresentadas contra ele na sexta-feira poderiam fornecer munição para seus rivais republicanos na corrida presidencial atacarem suas credenciais de segurança nacional. Até agora, eles têm se mantido em grande parte ao seu lado.

"É impossível apostar contra a permanência de Trump com a base republicana", disse Matt Bennett, do think tank de centro-esquerda Third Way. "Mas essa conduta descrita nesta acusação é ainda pior do que esperávamos - isso pode ter impacto."

Trump e seus aliados retrataram o caso como uma retaliação política do presidente democrata Joe Biden, mas Biden manteve distância.

Fonte: Brasil247

Nenhum comentário