728

Indígena Valdir Aruá vence o concurso Tribos 2022 com o melhor café robusta amazônico

Share:
Valdir é da aldeia São Luiz, na Terra Indígena Rio Branco em Rondônia. Café especial recebeu pontuação de 91,75 pontos.

Porto Velho, RO - O cafeicultor indígena de Rondônia Valdir Aruá foi o grande campeão da 4ª edição do concurso do Projeto Tribos. Com um café robusta amazônico de alta qualidade, Valdir alcançou 91,75 pontos. Um café é considerado especial acima dos 80 pontos.

Os vencedores do concurso foram anunciados na noite desta segunda-feira (12):

Valdir Aruá - Aldeia São Luiz - Terra Indígena Rio Branco (91,75 pontos)
Hewerson Tupari - Aldeia Nova Esperança - Terra Indígena Rio Branco (90,06 pontos)
Hermes Suruí - Aldeia Linha 09 - Terra Indígena 7 de Setembro (89,38 pontos)
O café apresentado por Valdir Aruá apresenta um corpo licoroso, acidez málica, com aroma floral, notas sensoriais de frutas vermelhas, cereja, mirtilo, whiskey, malte, cacau, pão de mel, cocada, água de coco e doce de leite.

"Produzir um café de qualidade junto com a minha família é muito gratificante. Nós estamos muito emocionados com a vitória. Graças a Deus chegamos em primeiro lugar no Projeto Tribos. Estamos muito felizes", disse o cafeicultor campeão.


Cafeicultor indígena Valdir Aruá na produção de café robusta amazônico em RO — Foto: Armando Junior

Além dos três primeiros colocados, chegaram na etapa final, entre os dez melhores do concurso: Ferrari Suruí (88,94 pontos), Pedro Tupari (88,75 pontos), José Suruí (88,63 pontos), Darlan Suruí (88,06 pontos), Samuel Suruí (87,81), João Suruí (87,75 pontos), Pargotem Suruí (87,67 pontos).

O que é Projeto Tribos?

O Projeto Tribos foi criado pela empresa 3 Corações com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável em terras indígenas de Rondônia e é baseado em três pilares: protagonismo indígena, proteção da floresta e produção de café de alta qualidade.

Atualmente, 132 famílias produtoras de café em 28 aldeias nas Terras Indígenas Sete de Setembro, em Cacoal, e Rio Branco, em Alta Floresta do Oeste participam do projeto Tribos.

O campeão recebe R$ 25 mil como prêmio, além da compra de cada saca produzida por R$ 3 mil. Todos os dez primeiros colocados recebem premiação em dinheiro e a compra de toda a produção de café pela 3 Corações. Ao todo são mais de R$ 100 mil em prêmios.

Os lotes de café especial serão comercializados em todo o país em uma embalagem especial contando a história de cada produtor.

Fonte: G1/RO

Nenhum comentário