Conscientização e serviço para atendimento à pessoa com Transtorno do Espectro Autista são fortalecidos no Abril Azul - RONDONIA 319

728

Conscientização e serviço para atendimento à pessoa com Transtorno do Espectro Autista são fortalecidos no Abril Azul

Share:

A Sesau, destaca a importância de promover informações e serviços de tratamento sobre o TEA e as ações que estão sendo realizadas durante o mês

Porto Velho, RO - No mês de abril, instituído como mês azul em forma alusiva à conscientização mundial do Transtorno do Espectro Autista (TEA), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), destaca a importância de promover informações e serviços de tratamento sobre o TEA e as ações que estão sendo realizadas durante o mês, com o objetivo de possibilitar a inclusão social e indicar a população onde buscar atendimento.

Segundo a terapeuta ocupacional da Sesau, Ariane Guimarães, é essencial compreender que o TEA é uma condição neurológica, e não uma doença. “As pessoas autistas possuem características únicas, como a sensibilidade sensorial aumentada, a dificuldade na comunicação verbal e não verbal, além de interesses específicos e comportamentos repetitivos”, explicou.

A Sesau por meio da Coordenadoria de Cuidado à Pessoa com Deficiência, promoveu um ciclo palestras nos dias 3, 4 e 5 para os profissionais de saúde, com os temas: seletividade alimentar, como atuar em crises e autismo não tem cara, com o objetivo de capacitar ainda mais o atendimento com crianças do espectro. E nos dias 22 e 23 acontecerá o primeiro simpósio sobre o autismo para os profissionais de saúde do estado e município, que visa capacitar o atendimento em saúde para pessoas do espectro.

O Secretário de Estado da Saúde, Jefferson Rocha, destaca a importância da informação e inclusão. “É de suma importância os conhecimentos sobre o TEA para sensibilizar a sociedade e promover práticas mais inclusivas”, pontuou.

SERVIÇO

O Centro de Reabilitação de Rondônia (Cero) oferece serviços de avaliação e terapias de fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia, psicopedagogia e neuropsicologia. São realizados em média, 700 atendimentos por semana, e 50% dos pacientes são crianças autistas.

A mãe atípica, Márcia Tomé, conta sobre a experiência do seu filho Adriel com o acompanhamento especializado. “Antes de ir ao Cero, meu filho Adriel de 7 anos possuía o laudo de autista não verbal, ele não falava nada, e quando começou com as terapias, começou a falar que queria água, comer, aos poucos foi desenvolvendo a fala, me deu uma esperança e alegria imensa, pois toda mãe quer o melhor para seu filho”, afirmou.

A fonoaudióloga, Graciele Varnou, enfatiza a importância do paciente com TEA receber o acompanhamento necessário. “Quanto antes os responsáveis buscarem ajuda profissional, melhor será o desenvolvimento da criança, a inclusão, o desenvolvimento cognitivo, de linguagem e interação social facilitará a convivência em sociedade. Além de conseguir os seus direitos e ser assistida, obtendo um cuidador de sala, provas e atividades adaptadas”, destacou.

50% das crianças atendidas no Cero são autistas.

CERO

Para ser atendido na unidade, o paciente ou o responsável deve primeiramente se direcionar a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência, e após regulado, será feito o contato por via whatsapp ou ligação para o agendamento da consulta, para isso, é de suma importância o cidadão manter os dados do cartão sus atualizados.

O Cero está localizado na rua Barão de Amazonas, 9848, bairro Mariana. Com o horário de funcionamento das 7h às 18h.

Nenhum comentário