728

federais suspeitam que fugitivos tenham corrompido policiais

Share:

Um dos grandes entraves nas buscas pelos fugitivos de Mossoró tem sido a falta de confiança entre as forças federais e estaduais

Porto Velho, RO - Um dos grandes entraves nas buscas pelos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN), Deibson Cabral e Rogério Mendonça, tem sido a falta de confiança entre os policiais envolvidos na operação para recaptura, que nesta quinta-feira (21/3) entra em seu 37º dia.

Segundo policiais envolvidos na operação, um dos principais pontos de desconfiança parte dos policias federais e rodoviários federais em relação a integrantes das polícias locais. Eles acreditam que possa ter havido, nas primeiras horas da fuga, uma inércia proposital por alguns policiais militares em Mossoró, para que os dois fugissem com mais liberdade. PFs e PRFs só chegariam bem depois a Mossoró para atuar nas buscas, quando o Ministério da Justiça determinou a entrada das duas corporações nos esforços para recaptura.

Essas primeiras horas podem ter sido estratégicas para Cabral e Mendonça se distanciarem do presídio com rapidez, com pouca chance de serem abordados.

Além disso, no decorrer dos dias, também houve alguns episódios de falta de comunicação entre as forças federais e a PM local que levantaram a suspeita dos primeiros.

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte repetidas vezes afirmou que seus homens vêm trabalhando com toda a seriedade e dedicação e que está tão empenhada nas buscas quanto os demais colegas.

Os dois presos, que pertencem ao Comando Vermelho, fugiram do presídio federal no dia 14 de fevereiro. Nesta quarta-feira, a força-tarefa entrou no 36º dia de caçada aos dois fugitivos.

Fonte: Metropoles

Nenhum comentário