728

Os maiores erros do VAR na temporada 2023-24 da Premier League

Share:


Porto Velho, RO - O árbitro assistente de vídeo (VAR) causou polêmica generalizada desde que foi introduzido na Premier League antes da temporada 2019-20.

Na época, o consenso era de que já seria um equipamento evolutivo impecável, mas parece que só piorou com o tempo.

Estamos na metade da campanha de 2023-24 no momento em que escrevemos este artigo, e vários dirigentes já se enfureceram com algumas das decisões tomadas pelos árbitros da Premier Legue.

Dito isso, continue lendo para dar uma olhada em alguns dos maiores erros cometidos pelo assistente de vídeo no primeiro terço da campanha.

Liverpool x Tottenham Hotspur

Onde melhor começar do que com o que é, sem dúvida, o pior erro do VAR na Premier League até agora?

O gol de Luis Diaz contra o Tottenham Hotspur foi erroneamente anulado por impedimento, e o Tottenham Hotspur venceu o Liverpool por 2 a 1.

Os árbitros da partida inicialmente consideraram o gol impedido, mas o VAR deveria ter intervindo para conceder o gol ao colombiano.

A Professional Game Match Officials Limited (PGMOL) admitiu que houve um “erro humano significativo” e que uma investigação será realizada.

O técnico do Liverpool, Jurgen Klopp, sugeriu que o jogo deveria ser repetido, enquanto aqueles que apostaram no gol de Díaz na partida com a aposta online ficaram indignados.

Tottenham Hotspur x Chelsea

O Tottenham aparece novamente e, embora a equipe de Ange Postecoglou tenha perdido o jogo por 4 a 1 para o rival Chelsea, e ambos os jogadores que talvez tenham tido sorte tenham recebido cartões vermelhos mais tarde, ainda há dúvidas sobre a tomada de decisão.

Como era de se esperar, esse clássico londrino foi muito disputado, e Destiny Udogie se aproximou com os dois pés em Raheem Sterling.

O atacante inglês foi rápido em afastar a perna do desafio, o que resultou em contato mínimo – e essa foi provavelmente a graça salvadora de Udogie.

Apenas alguns minutos depois, Cristian Romero, de cabeça quente, deu um chute em Levi Colwill fora da bola. No entanto, o VAR não recomendou um vermelho devido à falta de violência.

Romero recebeu ordem de expulsão aos 33 minutos do segundo tempo por uma entrada precipitada no companheiro de equipe internacional Enzo Fernandez, enquanto Udogie foi expulso no início do segundo tempo por uma segunda infração passível de cartão em Sterling.

Nottingham Forest x Brentford

Esse é estranho, porque não houve muita reação em campo por parte de Yoane Wissa ou de seus companheiros de equipe do Brentford depois que o atacante foi derrubado dentro da área por Matt Turner.

No entanto, os jogadores do time de Thomas Frank deveriam ter reclamado com o árbitro Paul Tierney, pois foi, sem dúvida, um pênalti.

O goleiro do Nottingham Forest deu um toque forte em um passe para trás e Wissa o derrubou de Turner, que acabou derrubando o atacante do Bees.

Surpreendentemente, o VAR nem sequer verificou um possível pênalti.

Manchester United x Wolverhampton Wanderers

Voltemos ao jogo de abertura da temporada no Premier League, pois não demorou muito para o VAR fazer uma grande besteira pela primeira vez.

Julen Lopetegui renunciou ao cargo de técnico do Wolves poucos dias antes do início da temporada, deixando a equipe da região central como uma das favoritas entre os bet.

No entanto, os Lobos tiveram o azar de não sair de Old Trafford com pelo menos um ponto. A equipe de Gary O’Neill teve várias oportunidades perdidas, mas deveria ter recebido um pênalti no final do jogo.

O novo goleiro dos Red Devils, André Onana, saiu para tentar pegar um cruzamento, mas acabou se chocando com Sasa Kalajdzic.

O VAR verificou a decisão e não concedeu o pênalti. No entanto, o técnico do PGMOL, Howard Webb, revelou que achava que o árbitro Jonathan Moss deveria ter sido mandado para a tela e que está confiante de que o juiz teria dado um pênalti se tivesse visto as imagens.

Fonte: Fatos Desconhecidos

Nenhum comentário