728

Índices aplicados ao agronegócio fecham 2023 em crescimento no estado de Rondônia

Share:

Em 2023, o rebanho bovino saltou de 17,6 milhões para 18,2 milhões de cabeças no pasto

Porto Velho, RO - No que se refere à produtividade e desempenho em Rondônia, os índices aplicados ao agronegócio foram positivos neste ano de 2023. Na pecuária, o rebanho bovino saltou de 17,6 milhões para 18,2 milhões de cabeças no pasto.

O aumento deu-se por conta da manutenção de fêmeas para reprodução e do número relativamente baixo de envio de gado para engorda fora do Estado. O número de abates também aumentou em relação ao ano passado, indo de 2,2 milhões de cabeças em 2022 para 2,7 milhões neste ano.

Somados aos resultados dos anos anteriores, os números registrados nos últimos 12 meses refletem significativo avanço na balança comercial do Estado. Em cinco anos, a exportação de carne e derivados deu um salto de mais de 200 milhões de dólares, indo de US$ 587,6 milhões, em 2018, para mais de US$ 811,8 milhões em 2022, segundo informações do site de Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro (Agrostat)/Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Neste ano, a expectativa é que as exportações de carne superem os US$ 900 milhões.

Cafés produzidos em Rondônia receberam selo de Indicação Geográfica

Para o governador de Rondônia, Marcos Rocha, na agricultura o resultado também foi positivo, com aumento da produtividade e consequente crescimento nas exportações no setor de commodities. “Avanços econômicos que foram coroados com conquistas de selos de qualidade no café e prêmios em concursos nacionais na produção cacaueira”, destacou.

Todo esse avanço só foi possível porque, além de políticas assertivas de fomento e gestão, o Governo do Estado reforçou as ações da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron) com investimentos vultosos na renovação da frota, construção de prédios novos e reforma e ampliação de unidades, além da renovação do aparato tecnológico, possibilitando agilidade e comodidade ao produtor rural no acesso aos serviços da Idaron.

Neste ano, além da entrega de dezenas de veículos e aparelhos de informática às Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal (Ulsav) da Agência, foram finalizadas as construções das unidades localizadas em Ouro Preto do Oeste e Ji-Paraná. Também foram iniciados os projetos para reformas nas unidades de Novo Horizonte, Alta Floresta d’Oeste, Espigão do Oeste e para a construção da unidade de Nova Mamoré.

Dentre as estratégias que têm colaborado com o fortalecimento do agronegócio, a Agência tem mantido parceria com diversas instituições, articulando uma rede integrada de vigilância passiva e detecção precoce de doenças em animais de produção, com principal foco na prevenção da febre aftosa.

PIONEIRISMO

Com o Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos do Estado de Rondônia (Siafro-Web), Rondônia passou a ser o único estado do Brasil a controlar, em tempo real, o fluxo e utilização de agrotóxicos. O sistema online da Idaron permite o monitoramento e controle, tanto da comercialização quanto da utilização e armazenamento dos defensivos agrícolas.

A utilização consciente e controlada de agrotóxicos, para garantia de alimentos saudáveis e o mínimo de dano ao meio ambiente e ao produtor rural, sempre foi uma das preocupações do Governo de Rondônia, que, ao longo dos anos, tem implementado diversas medidas para tornar mais ágil e efetivo o acompanhamento do processo de estocagem desse tipo de produto no comércio, além da venda ao agricultor, bem como a emissão de receituários agronômicos e o recolhimento das embalagens vazias para reciclagem segura.

Rondônia também é pioneira na realização das atividades relacionadas ao Programa de Vigilância Baseada em Risco para a Febre Aftosa (PVBR). A atividade, que está em seu terceiro ciclo, é realizada em propriedades rurais com animais suscetíveis a febre aftosa, tendo como objetivo orientar o produtor rural sobre às medidas que devem ser adotadas pelo próprio pecuarista para proteção do rebanho, e coletar dados para manutenção do status sanitário de livre de febre aftosa sem vacinação.

A novidade desse terceiro ciclo é que a mesma metodologia adotada por Rondônia foi adotada pelo Mapa para aplicação em todos os estados que são reconhecidos internacionalmente como áreas livres de febre aftosa sem vacinação, ou seja, a metodologia que já vem sendo adotada pela Idaron há um ano, foi aprovada pelo Mapa e passa a ser aplicada em outras regiões do Brasil.

Visita da missão internacional da República Dominicana, em janeiro

NEGÓCIOS

Ainda no início do ano, em janeiro, Rondônia recebeu visita de uma missão internacional da República Dominicana. O objetivo foi conhecer o potencial de produção e exportação da agropecuária rondoniense.

Três meses depois, em abril, o Estado foi visitado por uma missão do México e, no início de dezembro, o potencial da pecuária rondoniense foi avaliado por uma missão das Filipinas. Em todas as visitas o objetivo foi avaliar o sistema de defesa agropecuária do Estado, propriedades rurais e plantas frigoríficas, visando habilitar frigoríficos exportadores de carnes bovinas.

AÇÕES FITOSSANITÁRIAS

Ações da Idaron em 1,7 mil propriedades asseguram o estado de Rondônia como livre da monilíase do cacaueiro. Foi o maior número de propriedades inspecionadas pela Idaron em um ano, desde 2012, quando a Agência iniciou essa atividade.

O levantamento é realizado anualmente, atendendo os procedimentos definidos na Instrução Normativa Federal n° 112, de 2020, do Ministério da Agricultura. O trabalho de vigilância foi realizado em propriedades rurais e urbanas que possuem cacaueiros ou cupuaçuzeiros, com inspeção dos frutos também em áreas comerciais, lavouras abandonadas, quintais produtivos e em quintais agroflorestais. As ações de vigilância e prevenção à monilíase realizadas pela Agência contribuem para o desenvolvimento da cacauicultura no Estado.

AÇÃO NA FRONTEIRA

Ação realizada nos departamentos bolivianos do Beni, Pando e Santa Cruz

Com apoio do Fundo Emergencial da Febre Aftosa (Fefa), a Idaron mantém parceria com o Serviço Nacional de Sanidade Agropecuária e Segurança Alimentar da Bolívia (Senasag), realizando ações conjuntas na região de fronteira,com fiscalização do rebanho e vacinação de bovinos e bubalinos contra a raiva dos herbívoros.

A ação neste ano iniciou no final de outubro, com atendimento ao produtor rural boliviano e brasileiro em dezenas de propriedades localizadas nos departamentos bolivianos do Beni, Pando e parte de Santa Cruz. O trabalho é acompanhado de perto pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, através da Superintendência Federal de Agricultura em Rondônia. Ao todo, 6,7 mil animais foram vacinados contra a raiva.

INFLUENZA AVIÁRIA

A Idaron intensificou a vigilância e monitoramento contra a influenza aviária, com ações focadas em aves de subsistência, em 31 propriedades rurais localizadas em regiões que são consideradas de maior risco de ocorrência da doença.

O trabalho integra as estratégias do Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA), com coletas de amostras sorológicas nessas áreas de maior risco. O monitoramento do Ministério da Agricultura e Pecuária está concentrado nas regiões próximas às rotas de aves migratórias no Brasil e em regiões com grandes corpos d’água e que, portanto, sejam atrativas a tais aves.

PESTE SUÍNA CLÁSSICA

A Idaron mantém o monitoramento sorológico de peste suína clássica semestralmente, em julho e dezembro, como forma de garantir o status sanitário internacional de zona livre da peste suína conquistado em 2016.

No trabalho de sorologia, que é realizado em todas as regiões do Estado, os fiscais agropecuários da Idaron recolhem amostras de sangue para envio a um laboratório credenciado pelo Mapa. Esse monitoramento é feito anualmente e nunca foi registrado um foco da peste suína clássica em Rondônia. Além do monitoramento sorológico semestral, a Agência mantém o serviço de vigilância ativa nas propriedades em que há atividades ligadas à suinocultura.

Plantio da soja terá prazo prolongado devido à crise hídrica em Rondônia

CALENDÁRIO DE PLANTIO DA SOJA

Em decorrência das mudanças climáticas provocadas pelo fenômeno El Niño, que causaram a diminuição das chuvas em Rondônia, a Idaron estabeleceu novo prazo para o fim da janela de semeadura da soja na safra 2023/2024.

A nova data limite para o cadastro da safra 2023/2024 é dia 20 de janeiro. Ou seja, se o produtor não conseguir plantar a safra até o fim do calendário, em 20 de dezembro de 2023, em função da seca, poderá terminar o plantio depois da data limite, até o dia 20 de janeiro de 2024, desde que devidamente autorizado pela Idaron.

INSPEÇÃO DE ALIMENTOS

Com 26 profissionais atuando em frigoríficos nos municípios de Porto Velho, Ariquemes, Machadinho d’Oeste, Cacoal, Alta Floresta d’Oeste e Rolim de Moura, a Agência Idaron inspecionou mais de 30 mil toneladas de toda carne bovina que foi comercializada dentro e fora do Estado, no período de janeiro a agosto deste ano. Em todos os frigoríficos cadastrados na Agência, o serviço de fiscalização começa desde a chegada do animal ao abatedouro até o embarque da carne e subprodutos para mercados e açougues.

TECNOLOGIA

O sistema de emissão de Guia de Trânsito Animal pela internet, GTA-Online, que dentre as possibilidades permite a declaração de rebanhos e a consulta do saldo para solicitação de incentivos financeiros a instituições bancárias foi atualizado e, como novidade, traz a opção do produtor rural consultar e imprimir laudos de exames de brucelose e tuberculose sem ter que sair de casa.

Antes, só o médico veterinário tinha acesso a esse serviço. Ou seja, sempre que precisava consultar o laudo de exame ou imprimir a segunda via do documento o pecuarista tinha que acionar o profissional. A partir de agora, o próprio produtor pode acessar o sistema e imprimir a segunda via do laudo dos exames registrado pelo médico veterinário.

Nenhum comentário