728

Rondônia alcança ranking de competitividade nacional e atinge a 2ª posição da região Norte

Share:
Os dados foram divulgados pela Centro de Liderança Pública e avaliou as 27 unidades federativas

Porto Velho, RO - Rondônia subiu cinco posições no Ranking de Competitividade dos Estados no quesito Inovação, saltando da 21ª para 16ª. Os dados foram divulgados pelo Centro de Liderança Pública (Tendências Consultorias) em sua 12ª edição, e avaliou as 27 unidades federativas, a partir de 10 pilares temáticos, sendo eles: infraestrutura, sustentabilidade social, segurança pública, educação, solidez fiscal, eficiência da máquina pública, capital humano, sustentabilidade ambiental, potencial de mercado e inovação.

O resultado coloca Rondônia na 2ª posição do Norte do Brasil nos quesitos Patentes, Bolsas de Pós-Graduação e Empreendimentos Inovadores que fazem parte da tríade do pilar Inovação do ranking nacional. Os investimentos em ciência, tecnologia e inovação foram instruídos pelo Governo do Estado de Rondônia por meio da Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa – Fapero, começam a dar resultados para Rondônia.

Rondônia saltou da 21ª para 16ª no Ranking de Competitividade dos Estados no quesito Inovação

O foco em inovação tem sido fator determinante para manter a competitividade das empresas e instituições. Aderir a novas tecnologias e acompanhar as tendências contribuem ativamente para aprimorar a produtividade, a qualidade da oferta, além de garantir resultados de negócios mais consistentes e lucrativos. É a primeira vez que Rondônia tem crescimento significativo no fomento à inovação com crescimento de cinco pontos no ranking da competitividade.
Para o governador de Rondônia, Marcos Rocha, o Estado vem crescendo e se destacando desde 2019, e atua com Hubs de inovação [espaços físicos ou virtuais nos quais empresas e startups podem trabalhar e ter acesso a contatos, investidores, mentores e fornecedores]. Nos últimos três anos, o Estado passou a colher os resultados com o lançamento do Programa Centelha e o Inova Amazônia.

O mapeamento do Ecossistema Local de Inovação – ELI para o ano de 2023, em Porto Velho, foi realizado em janeiro por um conjunto de atores do Governo de Rondônia, iniciativa privada, universidade, sistema S, terceiro setor e comunidades que compõem o Conselho Deliberativo, instalado em maio de 2022. No âmbito do Governo, representantes da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico – Sedec e da Fapero participaram da elaboração da ferramenta que traz o potencial de inovação e empreendedorismo na Capital.

Em Rondônia, os setores que mais cresceram até o momento são o de agricultura, pecuária, mineração e serviços. Nesse sentido, o fomento à inovação tem sido positivo para a economia e ao empreendedorismo local, que passa a ter produtos e serviços mais competitivos, contribuindo para que o Estado avance como um player de negócios no Brasil.

Nenhum comentário