728

JUNHO VIOLETA - Campanha alerta para o combate à violência contra a pessoa idosa

Share:

Mês é marcado por ações que visam conscientizar a sociedade, no combate à violência contra a pessoa idosa 


Reunião discutiu atividades que serão realizadas ao longo deste período

Para marcar o Junho Violeta, mês dedicado à ações que visam conscientizar a sociedade sobre a importância do combate à violência contra a pessoa idosa, o Conselho Municipal da Pessoa Idosa, se reuniu na manhã desta quarta-feira (7), na Casa dos Conselhos Municipais, para discutir as atividades que serão realizadas ao longo desse período.

Formado por seis representantes do Executivo Municipal e mais seis da sociedade civil, o Conselho atua para assegurar a implantação, implementação, defesa e promoção dos direitos da pessoa idosa, entre outras atribuições. A gerente do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Sefra Maria Barros, também participou do encontro, já que integra ativamente as ações da campanha Junho Violeta.

"Os números são alarmantes e precisamos que as famílias, que toda a sociedade, tome consciência de que a pessoa idosa tem direitos, merece respeito e que é inaceitável qualquer tipo de violência. O Junho Violeta é um mês dedicado a chamar a atenção, mas os cuidados com a pessoa idosa devem ocorrer o ano todo", disse a presidente do Conselho, Eledir Mello.

Segundo ela, os tipos de violência mais comuns contra a pessoa idosa são o abandono, a negligência, a violência psicológica, física e financeira, além de maus-tratos. "Em média, recebemos entre oito a dez casos de violência por semana. Temos que chamar a atenção para a responsabilidade das famílias, mas é preciso ações do poder público, como a existência de uma delegacia especializada para atender a pessoa idosa e de abrigos para pessoas idosas. No Estado, há uma demanda de cerca de 400 vagas. É uma situação preocupante", completou.

Sefra Maria relatou que muitas pessoas idosas chegam às unidades de saúde desacompanhadas, alguns com desnutrição e a falta de cuidados com a medicação. "Recebemos sempre esse tipo de notificação. Tem familiar que larga a pessoa idosa na frente da unidade de saúde e vai embora. É preciso empatia, acolhimento e que as famílias entendam que a pessoa idosa precisa de carinho, de atenção e de responsabilidade por parte de todos".

O vice-presidente do Conselho, Pedro Augusto, pontuou que "temos que fazer um trabalho também na base, nas escolas, nas creches e na sociedade. Mostrar que a pessoa idosa não é um doente, mas que merece respeito e atenção. Temos que refletir sobre políticas públicas, mobilizar a sociedade em torno da proteção da pessoa idosa".

Como parte do Junho Violeta, estão sendo recolhidas doações de material de higiene pessoal, como fraldas geriátricas. Qualquer suspeita de violência contra a pessoa idosa, pode ser denunciada à Polícia Militar, por meio do 190, além do Disque 100, disponibilizado pelo Ministério dos Direitos Humanos.

Texto: Eranildo Costa Luna Foto: Eranildo Costa Luna

Nenhum comentário