728

Prefeitura termina 2022 com 90% das crianças do 1º ao 3º ano alfabetizadas na idade certa

Share:


Programa Alfabetiza Porto Velho tem a parceria do Tribunal de Contas de Rondônia

Dados foram apresentados na 5ª reunião do Comitê Gestor do programa

A Prefeitura de Porto Velho comemora os avanços na alfabetização das crianças do 1º ao 3º ano do ensino fundamental. Em 2022, o índice de alunos alfabetizados na idade certa saltou de 36% para 90%. Os dados foram apresentados na tarde de terça-feira (20), durante a 5ª reunião do Comitê Gestor do Programa Alfabetiza Porto Velho, implementado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) em parceria com o Tribunal de Contas de Rondônia (TCE/RO).

“Isso é um dado histórico, até porque, mesmo antes da pandemia, em 2016, 50% dos alunos terminaram o 3º ano sem estarem alfabetizados. Realmente é uma transformação da educação e vem ratificar a importância do Programa Alfabetiza e da parceria com o Tribunal de Contas do estado”, destacou a secretária Gláucia Negreiros (Semed).

Para ela, esse é o maior e melhor ganho da educação no município, que precisa ter qualidade evidenciada para a população, para os pais e, principalmente, para a vida dos estudantes. Acrescentou que, melhor que ter escolas bem estruturadas, é entregar resultado de aprendizagem, com a criança finalizando o ano letivo sabendo ler e escrever na idade certa.

Na prática, conforme a secretária, os alunos contam com professores que passaram por formação constante e continuada durante todo ano letivo. Eles utilizam instrumentos que avaliam e certificam a aprendizagem das crianças. “Isso é administrado dentro de um sistema de monitoramento mensal, que foi idealizado pelo Tribunal de Contas, sendo feito um acompanhamento com o professor, supervisor da escola e equipe do próprio Tribunal”, explicou.

Ainda de acordo com Gláucia Negreiros, para o município isso significa transformação na vida das pessoas. “Quando a gente investe na Educação, principalmente da criança pequena, a gente investe no futuro dos nossos cidadãos”, afirmou, destacando também os investimentos feitos pela gestão do prefeito Hildon Chaves desde a primeira infância, com prioridade nessa faixa etária de 6 a 8 anos de idade, que é quando a criança deve estar alfabetizada.

Paulo Cury disse que municípios poderão ser exemplos em alfabetizaçãoPaulo Cury disse que municípios poderão ser exemplos em alfabetização

CONSELHEIRO

O presidente do TCE/RO, Paulo Cury, disse que após o órgão detectar problemas no ciclo de alfabetização nos municípios de Rondônia, decidiu implantar o Programa de Alfabetização na Idade Certa (Paic), por meio da Escola de Contas, para auxiliar os gestores.

“O Tribunal atua na formação dos professores alfabetizadores, na definição do perfil do professor alfabetizador e na capacitação dos gestores. Os resultados são expressivos e daqui a pouco os nossos municípios poderão ser destacados como exemplos da alfabetização no país”, comentou.

Com a consolidação desse modelo de boas práticas na Educação, o conselheiro não tem dúvida de que os resultados serão ainda mais expressivos. “Nós esperamos em breve menos de 2% de alunos que vão finalizar o 3º ano sem estarem alfabetizados. Isso é muito acima da média nacional e teremos motivos para ficarmos muito mais orgulhosos da alfabetização no estado de Rondônia”, completou.

APRIMORAMENTO

Consultora em Educação junto ao TCE/RO, a professora Rita de Cássia Paulon disse que houve um salto substancial no aprimoramento da alfabetização dos alunos em Porto Velho.

“Crianças que terminaram o ano 2021 ainda muito incipientes na alfabetização, que começaram este ano numa condição pré silábica, que não sabe ler, não escreve seu nome e nem palavras simples como macaco, batata e peteca, finalizaram 2022, portanto, com todo esse sistema da escrita, sistema alfabético constituído”, elogiou.


Texto: Augusto Soares Fotos: Felipe Ribeiro

Nenhum comentário